Fórum Vozes Vegetais

Diversidade, Contradomesticação, Feminismo e História da Floresta

 

VI Conferência Curt Nimuendaju - Tania Stolze

 

"Parecida com os peixes: um relato etnográfico de Belo Monte a partir de um apelo do povo Juruna da Volta Grande do Xingu"

 

Lições de Fala: Diálogos Ameríndios

A partir de um diálogo com convidados indígenas, este Seminário propõe-se a explorar a centralidade e a potência da fala nas sociocosmologias de diferentes povos das terras baixas da América do Sul. Como escreveu Pierre Clastres, a linguagem é, para estes povos, não um mero instrumento a serviço da comunicação, mas algo a ser “celebrado”, usado com o máximo de cuidado, uma vez que atua na composição de pessoas e coletivos.

CEstA Intempestiva com Marcela Coelho de Souza

Fenômeno de visibilidade relativamente recente, os povos indígenas vem crescentemente mobilizando, no contexto de seus embates com o Estado (brasileiro ou outros), imagens da terra e da Terra (Natureza, Ambiente, Planeta) irredutíveis ao estatuto de bem imóvel inscrito em um regime de propriedade em termos do qual são geralmente reconhecidos (e frequentemente desconhecidos) os seus direitos territoriais. Apostamos que essas imagens, parte da cosmopolítica indígena contemporânea, conectam-se parcialmente àquilo que escolhemos (no âmbito do Laboratório de Antropologias da Tterra) chamar de T/terra — e que consideramos ter estado sempre presente nas etnografias.

Palestra com o professor Carlo Severi: seres transmutadores: uma proposta para uma antropologia do pensamento

Forms of thought, from what Lévi-Strauss called the “systematization [of] what is immediately presented to the senses,” to the causal theories studied by Evans-Pritchard in witchcraft, have generally been interpreted as an expression of a specific language or “culture.” In this paper, I discuss this way of defining thought.

Cesta Intempestiva com Gilton M. dos Santos: No bosque da abundância

A Amazônia foi ocupada, até um passado recente, por numerosos pequenos grupos locais (que a antropologia classifica como parentelas, subgrupos, aglomerados ou nexus) nominados e territorialmente situados. Estes grupos exploravam os ricos e dispersos recursos vegetais para fins alimentícios através de um complexo sistema de manejo da floresta, sem necessidade da agricultura. Este trabalho busca discutir este cenário a partir da produção etnográfica sobre os povos indígenas em franco diálogo com a ecologia histórica e a arqueologia amazônica.

Cesta Dupla Orlando Calheiros e Daniel Pierri

Orlando Calheiros Doutor pelo ppgas/MM/UFRJ - Sobre a emergência de um mundo sem outrem (um estudo sobre a escatologia Aikewara) e Daniel Pierri, mestre pelo ppgas/USP - Como acabará essa terra? Reflexões sobre a cataclismologia Guarani-Mbya.

CEstA Intempestiva com Pauline Laval - Apropriação social dos espaços de pesca no estuário do rio Oiapoque: O caso do povo indígena Palikur

Separando o Brasil e a Guiana Francesa, o estuário do rio Oiapoque é povoado por 30.000 habitantes pertencendo a vários grupos humanos. Entre eles, cerca de 6.000 são Povos Indígenas de 4 etnias diferentes: Palikur, Galibi-Marworno, Karipuna e Galibi-Kali’na. A maioria deles vivem nas 3 Terras Indígenas do Oiapoque. Para todos os habitantes do estuário, a pesca é uma atividade importante. A pesca artesanal profissional se desenvolveu desde os anos 1980 nas cidades de Saint-Georges (Guiana Francesa) e Oiapoque (Brasil), junto com o crescimento urbano. Nas vilas e aldeias, a pesca permanece uma atividade indispensável para a alimentação cotidiana até hoje.

Cesta Básica com Maria Luísa Lucas

Maria Luísa Lucas (Doutoranda, PPGAS/MN/UFRJ)

Uma das faces da aurora: o caminho de um ritual bora depois do caucho

Diálogos Ameríndios: AS PEREGRINAÇÕES DOS WIXÁRICA - COLÓQUIOS E MOSTRAS

Os Wixárica do México trazem ao Brasil a sua arte e a religiosidade da tradição do uso do cacto sagrado Peyote, o “Hikuri”, em uma sequência de apresentações da rica cultura da Sierra Madre ocidental de Jalisco e do deserto Wirikuta, através de colóquios, mostra e objetos tradicionais, artesanatos, filmes e cerimônicas.
Organização: Enio Staub e Sandra Goulart

Povos Indígenas em Movimento - Aula Pública com Luís Henrique Eloy Terena

Aula Pública do Abril Indígena 2017 com Luís Henrique Eloy Terena

Advogado de direitos humanos
Assessor do Conselho Aty Guasu Guarani e Kaiowá
Assessor do Conselho do Povo Terena
em parceria com Fórum Sobre Violações de Direitos dos Povos Indígenas, da Aliança dos Povos Indígenas do Brasil - APIB, no âmbito do Abril Indígena e da Greve Geral contra o Governo Temer

Sede do CEstA - Rua do Anfiteatro, 181 - Colmeia favo 8

CEstA Intempestiva com Oscar Calavia Saez (UFSC)

É feição peculiar do regime indigenista brasileiro que apenas em data muito recente assistamos à formação de uma intelectualidade indígena. Decerto, toda a história da etnologia apoia-se na interlocução com sujeitos (os nativos, outrora informantes) dedicados a definir, interpretar e especular em benefício do pesquisador; só nos últimos decénios, porém, tem se-lhes reconhecido um papel além daquele de intermediários mais ou menos fiéis entre uma tradição própria e uma indagação originada alhures.

V CONFERÊNCIA CURT NIMUENDAJU - FEDERICO NAVARRETE

Entre a cosmopolítica e a cosmohistória: tempos fabricados e deuses-xamãs entre os astecas

DIÁLOGOS AMERÍNDIOS com Kasiripinã Wajãpi e Merekuku Apalay

O presente projeto constitui-se como uma atividade do Centro de Estudos Ameríndios da Universidade de São Paulo- CEstA/USP. Trata-se de dar continuidade aos esforços de experimentar formas renovadas de interlocução com sujeitos indígenas, algo que vêm sendo buscado principalmente por meio dos "Diálogos Ameríndios", sessões de debate, feitas no espaço da universidade, entre os membros do CEstA e conhecedores indígenas convidados. Assim, a proposta é trazer ao CEstA três conhecedores indígenas (Jorge da Silva Kaiowá, Kasiripinã Wajãpi e Merekuku Apalay) e, num "diálogo ameríndio" prolongado e ampliado, pedir que falem de seus conhecimentos, de como aprenderam o que sabem.

CEstA Intempestiva com Bruce Miller e Stephen Baines

Bruce Miller, University of British Columbia, Vancouver, Canadá 

"Uma Perspectiva Etnográfica de Emaranhamentos Jurídicos nas Fronteiras do Mar Salish".

 

Stephen G. Baines, Universidade de Brasília

Palestra Isaka Huni Kuin: Una Isi Kayawa - Livro de cura

Palestra de Isaka Huni Kuin, filho de Augustinho Munduca, idealizador do livro de cura Una Isi Kayawa, que trata dos conhecimentos do povo Kaxinawa na área da saúde e das plantas de cura.

III Conferência Curt Nimuendajú – Eduardo Viveiros de Castro

Palestra: Últimas notícias sobre a destruição do mundo

CEstA Intempestiva - Carlo Bonfiglioli

Resumo: Danza y chamanismo rarámuri

Diálogos Ameríndios com Mutuá Mehinaku: Nova experiência na cultura dos brancos

Mutuá Mehinaku é Licenciado em Língua, Artes e Literatura pelo Terceiro Grau Indígena - UNEMAT e Mestre em Antropologia Social pelo PPGAS Museu Nacional/UFRJ

 

Simpósio CEstA nas redes Guarani

Simpósio CEstA nas Redes Guarani O Centro de Estudos Ameríndios da USP conta com um significativo montante de pesquisadores que trabalham junto aos Guarani – que aqui consideramos como categoria englobante de coletivos que guardam entre si muitas singularidades, a exemplo dos Mbya, Ava, Nhandeva, Tupi e Kaiowa. A iniciativa deste Simpósio nos pareceu uma rara e profícua oportunidade de encontro entre esses pesquisadores com convidados de outras instituições e com pesquisadores indígenas de vários estados. Certamente não intencionamos reduzir as respectivas singularidades dessas diferentes experiências de pensamento e produção de conhecimento.

Seminário POLÍTICAS CULTURAIS E POVOS INDÍGENAS: A escola e outros problemas – CEBRAP/CEstA (USP)

Políticas culturais dos índios e para os índios têm efeitos que merecem exame. Iniciativas de patrimonialização de arte, conhecimentos, técnicas, lugares, línguas serão discutidas nesse seminário. Mas de todas as políticas culturais, a escola é provavelmente a de maior impacto e uma atenção especial será dedicada a sua análise.
O seminário é uma iniciativa conjunta do projeto do CEBRAP que analisa os efeitos das políticas culturais em populações indígenas, financiado pela Fundação Ford, com o CEstA, Centro de Estudos Ameríndios da USP.

 

Seminário Saberes Ameríndios
Uma das principais preocupações do Centro de Estudos Ameríndios (CEstA) é promover a interdisciplinaridade no campo de estudo e pesquisa dos povos indígenas, abrangendo ao menos a Antropologia, a História e a Arqueologia. Para isso, é necessário partir de pontos de convergência ou problemáticas comuns a essas diversas disciplinas no âmbito das pesquisas sobre os povos ameríndios. Entre os inúmeros pontos e problemáticas possíveis, alguns foram eleitos para iniciar essa empreitada: as fontes para o estudo das sociedades ameríndias; as estruturas ameríndias; os ameríndios no mundo contemporâneo; os saberes ameríndios.
Márcio Goldman (Aula aberta da disciplina “Cosmopolíticas e Cosmopolistismos”)

Aula aberta com o prof. Marcio Goldman, do Museu Nacional. A aula foi organizada como encerramento do curso de pós-graduação Cosmopolíticas e Cosmopolitismos, ministrado por Renato Sztutman e Stelio Marras.

CEstA Debate - Violência contra indígenas: da ditadura ao PAC

Debate realizado em 26/06/13, com a presença de Gilberto Azanha (antropólogo e coordenador do Grupo Técnico responsável pela identificação e delimitação das Terras Indígenas Terena no Mato Grosso do Sul), Marcelo Zelic (vice-presidente do Grupo Tortura Nunca Mais-SP) e Maria Rita Kehl (psicanalista e integrante da Comissão Nacional da Verdade).

CEstA Boas-vindas - Marina Vanzolini: As histórias dos outros: variação mítica e mentira no mundo dos Aweti do alto Xingu

Marina Vanzolini – é doutora pelo Museu Nacional (UFRJ). Atualmente faz pós-doc na mesma instituição onde desenvolve pesquisa comparativa sobre feitiçaria na américa indígena e nas religiões de matriz africana. Suas áreas de interesse são etnologia indígena, política, parentesco, feitiçaria e teoria antropológica.

Diálogos Ameríndios com Jose Quidel: "La importancia de las lenguas en el proceso de re-construcción del conocimiento propio de los pueblos indígenas"

José Quidel: Liderança política e religiosa Mapuche. Mestre pelo PPGAS/UNICAMP, atualmente é doutorando pela mesma instituição.

Resumo: A apresentação discute a relevância da língua nativa na manifestação dos conhecimentos, e de como as línguas encerram e revelam a visão de mundo dos povos que o falam. Obviamente há muitas maneiras de falar e de compartilhar conhecimentos. Me situarei a partir da perspectiva mapuche, para mostrar algumas categorias chaves para abordar tais temas, como “fala” e “conhecimento”.

CEstA Tripla - João Dal Poz, Carlos Ferreira, Marcio Silva

Título: “Antropologia e Computação na selva”

Marcio Silva: Doutor em Antropologia pelo Museu Nacional, professor da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da USP. Atua nas seguintes áreas: sistemas de parentesco, classificações cosmológicas, políticas, institucionais e pessoais.

CEstA Básica com Ana Yano e Rafael Pansica

“Chamar os animais, alegrar os parentes: notas iniciais sobre o hai ika”

Ana Yano: Doutoranda PPGAS/USP e pesquisadora do Centro de Estudos Ameríndios.

Rafael Pansica: Doutorando PPGAS/USP e pesquisador do Centro de Estudos Ameríndios.

CEstA Básica com Paride Bollettin

“A borboleta dos xikrin”

Paride Bollettin: Doutor em Antropologia pela Università degli Studi di Siena. Atualmente é Pós-doc e pesquisador do Centro de Estudos Ameríndios.

CEstA Intempestiva - profa. Barbara Glowczewski

"From academic heritage to Aboriginal priorities: anthropological responsabilities".

 

Barbara Glowczewski é etnóloga francesa, trabalha entre os aborígenes australianos desde 1979. Atualmente ela é diretora de pesquisa classe 1 CNRS/EHSS/COLÈGE DE FRANCE. 

CEstA Intempestiva - profa. Elizabeth Ewart: o "Fazendo e desfazendo miçangas: algumas reflexões sobre os objetos entre os Panará"

 

Elizabeth Ewart é antropóloga, professora da Universidade de Oxford. Trabalha entre os índios Panará, desenvolvendo pesquisas que abordam cosmologias indígenas, cultura material e artes do corpo.

 

25 anos de Constituinte

Dalmo de Abreu Dallari, jurista de referência internacional, discute na primeira parte da entrevista o contexto histórico da Constituinte, e as ideias debatidas na mesma acerca dos direitos indígenas.

II Conferência Curt Nimuendaju com Stephen Rostain (professor de Nanterre – Paris X)

Conferência "Ecologia da Agricultura da Antigua na Amazônia Costera", com o professor Stephen Rostain (CNRS, França; IFEA, Quito)

CEstA Intempestiva - profa. Norma Angélica Castillo

CestA intempestiva com Norma Castillo (Universidade autónoma do Mexico) "Altepetl de Iztapalapa, barrios, actividades y cacicazgo en el entorno lacustre de la cuenca de México"

CestA Dupla com Eduardo Neves e Renato Sztutman

"Políticas Ameríndias no Passado e Presente"

CEstA Intempestiva - prof. Lynn Mario de Menezes

Palestra com Lynn Mário de Souza (Departamento de Letras Modernas/FFLCH-USP): "A língua materna múltipla: casta, religião, língua e identidade em Goa, Índia"

CEstA Intempestiva - Helena Cavalcanti-Schiel

Helena Cavalcanti-Schiel possui graduação em Ciências Sociais, com habilitação em Antropologia Social pela Universidade de Brasília (2002). Concluiu mestrado em Antropologia Social na Universidade de São Paulo (2005). É atualmente doutoranda em Antropologia Social na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (EHESS, Paris, França, desde outubro de 2005) e membro do Laboratoire d'Anthropologie Sociale (LAS).

 

 

 

Seminário Presença Indígena na Universidade - 2012

Resumo: O Seminário de Pesquisa "Paisagens Ameríndias. Habilidades, mobilidade e socialidade nos rios, aldeias e cidades da Amazônia" apresenta os resultados de investigações desenvolvidas desde 2009 no âmbito da colaboração acadêmica subvencionada pela CAPES, envolvendo as áreas de etnologia e antropologia urbana da USP/UFAM.

Diálogos Ameríndios com Luís Henrique Eloy

Luiz Henrique Eloy Amado é acadêmico Terena, formado em Direito pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), no âmbito do Programa Rede de Saberes. Atualmente é advogado e assessor jurídico do CIMI/MS e mestrando no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Local em Contexto de Territorialidade na UCDB.

CEstA Dupla - Sylvia Caiuby e Stelio Marras

"Dilemas e abordagens da relação entre índios e produtos industrializados"

 

Palestra: “Pode-se falar em reforma social na Amazônia Indígena?” e exibição do filme “As hiper mulheres” com Carlos Fausto (professor do Museu Nacional)

“Pode-se falar em reforma social na Amazônia Indígena?” e exibição do filme “As hiper mulheres”. Direção: Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro.

Título: As Hiper Mulheres

País de Origem: Brasil

Gênero: Documentário

Palestra com José Manuel Vieira Fragoso (Universidade de Stanford) “Interações Complexas entre a Biodiversidade e Culturas Indígenas”

Resumo: Trezentos a 500 milhões de pessoas no mundo pertencem a povos indígenas, representam 5000 grupos étnicos distintos e ocupam 20% da superfície habitável do planeta. Povos indígenas ocupam ou detêm títulos de 26% da Bacia Amazônica, amplamente definida para incluir a bacia do Orinoco. Isso é equivalente à extensão de terras designadas na atualidade como zonas protegidas categorias I-IV, sendo que os propostos corredores para a conservação da biodiversidade incluem extensas áreas  indígenas.

CESTA Intempestiva - profs. Júlio Cezar Melatti e Roque Laraia

Conversa com Roque Laraia e Júlio Cezar Melatti (Professores da UNB) (Evento Nacional)

Conferência Curt Nimuendajú com Manuela Carneiro da Cunha (Professora da Universidade de Chicago)

“Observações sobre a natureza e a importância do conhecimento tradicional”