Lígia Rodrigues de Almeida

Sobre outros modos de ocupar: o tempo dos sonhos e o tekoha sonhado Tupi Guarani​​​​​​​

​​​​​​​Lígia Rodrigues de Almeida

O intuito da pesquisa é dar continuidade às reflexões iniciadas no doutorado e que dizem respeito as diferenças apresentadas por famílias tupi guarani, que vivem no município de Barão de Antonina, sudoeste do Estado de São Paulo, entre a noção de se instalar em um território, ou seja, construir uma infraestrutura (casas, escolas, etc.), e a noção de ocupar um território, que faz referências às suas vivências e suas relações com uma dada localidade. Conforme explicam, mesmo nos momentos em que foram retiradas de seus territórios e impossibilitadas de retomá-los, essas famílias nunca deixaram de ocupá-los, isso porque nunca deixaram de vivê-los, visitando-os e fortalecendo-os (mbaraeté) com frequência neste mundo e no mundo dos sonhos. Por essa razão tal pesquisa também aborda os conceitos tempo dos sonhos e tekoha sonhado, mobilizados por essas famílias para se referir aos territórios que ocupam e aos movimentos que realizam no processo de fabricação e manutenção desses locais.

 

Fundação Nacional do Índio (Funai).

Linha de pesquisa:  Questões Ameríndias Contemporâneas.

Email Institucional
ligiarodri@yahoo.com.br